Mauricio Kus
ESTRÉIA EM SÃO PÁULO O MUSICAL QUASE NORMAL, UM ESPETÁCULO DE TADEU AGUIAR


Por Mauricio Kus, 14/02/2013 às 12:27

Vanessa Gerbelli Ceroni, Cristiano Gualda,
Olavo Cavalheiro, Carol Futuro, Victor Maia e André Dias


em

MUSICAL QUASE NORMAL, UM ESPETÁCULO DE TADEU AGUIAR
Música de Tom Kitt
Texto e letras de Brian Yorkey
Direção geral e Versão brasileira de Tadeu Aguiar

Vencedor do Prêmio Pulitzer de 2010
Considerado um dos 10 melhores espetáculos de 2012 – O Globo
3 indicações para o Prêmio APTR
– Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro – melhor Atriz protagonista, melhor Cenário, melhor Espetáculo.

Mais que um musical. Mais que uma ópera-rock. O espetáculo que gerou uma série de sensações, fazendo o público chorar e rir ao mesmo tempo, chega finalmente aos palcos de São Paulo, no Teatro FAAP, em Higienópolis.

Estreia dia 21 de fevereiro no Teatro FAAP

Quase Normal é a história de uma família que convive com o transtorno do humor bipolar de sua mãe. Entre os altos e baixos dos afetos, das paixões e das loucuras, eles lutam para se manterem unidos e seguirem adiante.

Apresentado pelo Ministério da Cultura, Eduardo Bakr & Tadeu Aguiar e patrocinado, através da Lei Rouanet, por Aché Laboratório Farmacêutico e Porto Seguro, Quase Normal é a historia de uma família que pretende levar uma vida normal, mas que enfrenta adversidades, passando por uma numerosa gama de emoções que sacodem o público com intensidade, diverte com seu humor e o deixa renovado e comovido pelas semelhanças que encontra entre o que ocorre em cena e o que se passa no interior de suas próprias vidas.

O espetáculo que emocionou a Broadway gira em torno de uma família “Quase Normal”: Diana, uma dona de casa convencional, que sofre com sua bipolaridade; Dan, seu marido, que tenta a todo custo manter a família unida; Natalie, uma adolescente problemática, que tem uma péssima relação com seus pais e sonha um dia sair de casa; e Gabriel, o filho praticamente perfeito, que deseja manter-se presente para sempre.

Enquanto Diana perde sua lucidez aos poucos, os outros membros da família travam uma verdadeira batalha para conseguir que essa convivência entre nos eixos; seja tentando enfrentar os efeitos da bipolaridade ou mesmo se reinventando em nome do equilíbrio familiar.

Uma obra contemporânea que lotou as salas da Broadway e que continua comovendo espectadores em todo mundo,Quase Normal coleciona diversos prêmios.

Mesmo sendo uma produção recente de 2010, essa emocionante e eletrizante história já foi encenada em diversos países, entre eles Noruega, Finlândia, Coréia do Sul, Canadá, Holanda, Dinamarca, Suécia, Argentina, Singapura, Argentina, além de vários estados dos EUA, revolucionando o gênero.
Quase Normal é um musical-rock que certamente mudou os rumos da Broadway.



Teatro FAAP (500 lugares)
Rua Alagoas, 903 – Higienópolis
Informações e Vendas: 3662.7233 e 3662.7234.
Bilheteria: de quarta à sábado, das 14h às 20h. Domingo das 14h às 17h.
Aceita cartão de débito e crédito: Visa, Máster ou Dinners. Não aceita cheque.
Estacionamento gratuito, com vagas limitadas. Acesso para deficiente. Ar-condicionado.

Quinta e Sexta às 21h | Sábado às 18h e 21h30 | Domingo às 18h

Ingressos:
Quinta e Sexta R$ 80
Sábado e Domingo R$ 100


Duração: 120 minutos, com intervalo de 15
Recomendação: 14 anos

Pré-estreia para convidados: sábado, dia 16 de fevereiro

Estreia dia 21 de fevereiro
Temporada: até 12 de maio


FICHA TÉCNICA:
Música:
Tom Kitt
Texto e letras: Brian Yorkey
Direção musical e regência: Liliane Secco
Versão brasileira e Direção geral: Tadeu Aguiar
Elenco: Vanessa Gerbelli Ceroni, Cristiano Gualda, Olavo Cavalheiro, Carol Futuro, Victor Maia e André Dias
Diretora assistente e Coreógrafa: Flavia Rinaldi
Figurinistas: Ney Madeira, Dani Vidal e Pati Faedo - Espetacular! Produções e Artes.
Cenógrafo: Edward Monteiro
Designer de luz: Rogério Wiltgen
Designer de som: Fernando Fortes
Preparação vocal: Mirna Rubin
Produção Executiva – Cristina Sato, Paulo Ferrer e Marcela Castilho.
Coordenação de produção: Norma Thiré
Idealização, coordenação do projeto e produção geral: Eduardo Bakr & Tadeu Aguiar - Estamos Aqui Produções Artísticas.

Tadeu Aguiar - TRADUÇÃO, VERSÕES E DIREÇÃO GERAL
Há 30 anos dedica-se ao Teatro. Produtor, Ator e Diretor teve sua estréia nos palcos com o musical Aí Vem o Dilúvio e, desde então, fez longa carreira teatral tendo atuado em: O Peru; As Is; A Morte do Caixeiro Viajante; O Lobo de Rayban; A Pequena Loja dos Horrores; Bodas de Fígaro; Um Bonde Chamado Desejo; Quem tem medo de Kurt Weil?; My Fair Lady; Em 2011, protagonizou o espetáculo Baby, o musical; em 2009, além de ser o protagonista do espetáculo Esta é a nossa canção, Traduziu os espetáculos: Esta é a Nossa Canção; Baby, o Musical; Comentários de Amor, Oscar e a Sra. Rosa; Quase Normal. Como DIRETOR TEATRAL destacamos seu trabalho nos espetáculos da Cia.Teatro Jovem (www.teatrojovem.com.br , projeto que idealizou há 15 anos, que conta como o apoio da UNESCO e tem em sua bagagem mais de 3.000.000 de espectadores no Brasil); recentemente dirigiu os espetáculos: Quatro Faces do Amor (2011); Quase Normal (2012); Oscar e a Senhora Rosa (2013).

Tom Kitt - Música
Tom recebeu em 2010 o Prêmio Pulitzer pelo seu texto e também dois Prêmios Tony pela melhor partitura e melhor arranjo. Sua música para Quase Normal também recebeu em 2009 o prêmio Frederick Loewe por Composição Dramática e o Outer Critics Circle Award por Melhor Partitura. Tom foi também o responsável pela supervisão musical, arranjos e orquestrações pelo espetáculo American Idiot na Broadway.

Brian Yorkey - Texto e Letras
Membro do Dramatists Guild, ele se formou na Universidade de Columbia, onde foi Diretor Artístico do Varsity Show. Recebeu em 2010 o Pulitzer Prize pelo seu texto. Em 2009 recebeu o Prêmio Toni de melhor partitura por Quase Normal e indicado ao Prêmio Tony por melhor musical Musical Quase Normal e ganhou o Prêmio Outer Critics Circle por melhor partitura. Fez também a adaptação musical do filme de Ang Lee, Banquete de Casamento.

LILIANE SECCO - Direção Musical e regência
Liliane Secco graduou-se “Summa Cum Laude” em composição pela Berklee College of Music, Boston, MA. Foi três vezes vencedora do Prêmio Shell de teatro. Em 2002 exerceu a função de diretora da academia do programa musical FAMA, exibido pela TV Globo. Em teatro foi diretora musical dos espetáculos: Falabella solta os Bichos, Tadeu Aguiar & Silvia Massari – Finalmente Juntos, Finalmente ao Vivo, Quatro Carreirinhas, Cauby, Cauby, O Baile, Cristal Bacharach, Esta é a nossa canção (espetáculo o qual concorreu ao prêmio Shell de 2009), Baby, Quatro Faces do Amor, entre outros.

VANESSA GERBELLI CERONI (Diana)
Atriz, cantora, compositora e pintora, Vanessa Gerbelli começou na vida artística aos 15 anos, cantando em bandas de baile. Aos 19 anos estreou no teatro, na peça Quixote, e, durante anos participou de espetáculos musicais. Em 2000, foi descoberta por um produtor de elenco da Globo na ópera-rock Cazas de Cazuza. A estreia na TV foi no mesmo ano, em O Cravo e a Rosa. Em seguida, participou de Desejos de Mulher, Mulheres apaixonadas (onde transformou em principal um papel secundário: o da ex-prostituta Fernanda, mãe da adorável menina Salete, que morre violentamente num tiroteio) além destas, na TV integrou o elenco de: Kubanacan; Da cor do pecado; Cabocla e Carandiru e outras histórias; Prova de Amor; Amor e Intrigas, como protagonista; A História de Ester; Vidas em Jogo. No cinema participou dos filmes: Carandiru; Os desafinados; Matraga; As Mães de Chico Xavier. No teatro, entre outras atuou em Turandot, de Bertold Brecht – Dir. José Renato Pécora; Eles Não Usam Black Tie, de Gianfrancesco Guarnieri – Dir. Marcus Vinícius Faustini; Tartufo, de Moliére - Dir. Tônio Carvalho; Orlando, de Virginia Woolf/ Carlos Sant’anna – Dir. Bia Lessa; Um Marido Ideal, de Oscar Wilde – Dir. Victor Garcia Peralta; As Meninas, de Maitê Proença e Luis Carlos Góes – Dir. Amir Haddad; Emilinha e Marlene, As Rainhas do Rádio, de Thereza Falcão e Júlio Fischer - Dir. Antônio de Bonis.

Leia também:

PARA ALEGRIA DA GAROTADA, OS SMURFS VEM AÍ
29/04/2010 - 10:10
No próximo dia 5 de maio, Véronique Culliford, presidente e William Auriol, CEO da empresa belga IMPS, que licencia para o mundo os personagens azuis 'Os ...


UM DIA COM AS BOND GIRLS EM SÃO PAULO
14/02/2011 - 10:44
Era o fim do mês de agosto do ano de 1979. Os jornais e os trailers no cinema apontavam 'Moonraker', o próximo filme do James Bond, o agente secreto 007,...


HÁ QUASE SEIS DÉCADAS UM GRUPO DE JOVENS BRASILEIROS COLOCOU NOSSO PAÍS NO TOPO DO RANKING MUNDIAL DE HQ COM A 1ª EXPOSIÇÃO INTERNACIONAL DE HISTORIAS EM QUADRINHOS
13/01/2010 - 12:36
No inicio do ano de 1951, surgiu a entre um grupo de jovens amantes do cinema e história em quadrinhos, a idéia de organizar uma exposição de histórias em ...


INTRODUTOR DOS MENUDOS NO BRASIL, HELIO BATISTA LANÇA PROGRAMA DE CAÇA A TALENTOS PELA INTERNET
21/01/2017 - 21:06
Após anos de estudo sobre o meio artístico e o show business no Brasil, Helio Batista, o introdutor dos "Menudos" no Brasil, com largo expertise na organiz...


AS BOND GIRLS AGITARAM SÃO PAULO NOS ANOS 80/90
24/10/2009 - 2:2
A primeira vez que eu e Sarinha, minha esposa, fomos para Roma foi em meados dos anos 60. Na primeira noite, no saguão do Cavalieri Hilton, onde estavamos ...


ANTONIO FAGUNDES E SEU FILHO BRUNO FAGUNDES SOB A DIREÇÃO DE JORGE TAKLA
11/04/2012 - 17:27
Em seu ateliê em Nova York, em 1958 o já consagrado artista Mark Rothko recebe pela primeira vez seu novo assistente, Ken. '1O que você vê?', pergunta, ap...


CONVITE para a exibição do filme "Como me Tornei um Elefante"
14/11/2013 - 10:8
CONVITE para a exibição do filme "Como me Tornei um Elefante"...


O ENTERRO DA CAFETINA
01/10/2009 - 20:15
Você, prezado leitor, já se imaginou passando pela rua, a trabalho ou fazendo uma caminhada, quando à sua frente passa um cotejo fúnebre, com o carro funer...


O ACTORS STUDIO QUASE VEIO AO BRASIL, MAS..PAROU NO GRID DE LARGADA
17/11/2009 - 11:38
Conheci Thamas Rohony em 1966, ano em que foi lançado em São Paulo o filme “Grand Prix”, uma super produção de Hollywood, dirigida por John Frankenheimer, ...