Mauricio Kus
O Quebra-Nozes - NATAL SEM BALLET "O QUEBRA NOZES" NÃO É NATAL


Por Mauricio Kus, 13/12/2009 às 21:45

O Quebra-Nozes 

NATAL SEM BALLET "O QUEBRA NOZES" NÃO É NATAL 


Música: Tchaikovsky

O mais belo espetáculo de Natal, em 26ª edição, é um “presente de Natal” para o público de São Paulo !

A CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA, que comemora 32 anos de existência, com sucesso de público e de crítica em todo o Brasil e exterior, estará realizando a produção do espetáculo “O Quebra-Nozes”, em sua 26ª edição, tradicional obra natalina, com a maravilhosa música de Tchaikovsky, que será apresentado no Teatro Alfa, no período de 10 a 20 de dezembro, num total de 15 apresentações, com matinês aos sábados e domingos .

 

Um espetáculo esperado por todos que conhecem a magia da obra: um “presente de Natal” ao público de nossa cidade.

 

Neste ano de 2009, além de grande elenco e participação do elenco fixo da Cisne Negro Cia. de dança, teremos. como convidados os Solistas do American Ballet Theatre de Nova York : o brasileiro Marcelo Gomes, e as bailarinas: Hee Seo, corena, e  Maria Ricetto, uruguaia. Teremos também os solistas da Cisne Negro Cia. de Dança: Vitória Oggiam e Leandro Neves.

 

Ainda como convidados: o brasileiro Vladimir Condereche, ex-bailarino da Cisne Negro e atualmente professor no Departamento de Teatro e Dança na Universidade do Novo México, em Albuquerque, Estados Unidos, que se revesará com o ator Felipe Carvalhido no papel de Drosselmeier e a brasileira Cinthia Beranek (ex-bailarina da Cisne Negro, que participou por 8 anos como integrante do Cirque Du Soleil..

 

No saguão do Teatro haverá apresentações de corais natalinos.

 

Este espetáculo conta com a direção artística de Hulda Bittencourt e direção de ensaios de Dany Bittencourt e corpo de renomados professores-ensaiadores nacionais e internacionais, entre eles o russo Boris Storojkov, do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.



UM POUCO DE HISTÓRIA

 

A criação de "O Quebra Nozes" foi inspirada em uma adaptação francesa de um trecho do conto Nussknacker und Mauserkonig (Quebra-Nozes e o Rei dos Camundongos), de Hoffmann. Tchaikovsky se encantou com as colorações sinistras e fantásticas que envolvem a história e compôs a música para o ballet. O resultado é uma obra repleta de fantasia e romantismo.


Encenado em dois atos, o balé conta a fantasia de Clara, uma menina que na noite de Natal ganha muitos presentes, mas se encanta de uma maneira especial por um deles, um boneco quebra-nozes. Quando todos vão dormir, Clara vai à sala para brincar com seu novo presente adormece e entra no mundo da fantasia. Os brinquedos ganham vida, dançam, lutam, viajam para O Reino das Neves e Reino dos Doces, onde Clara e seu príncipe são homenageados com danças típicas de vários países e com um gracioso pas-de-deux da Fada Açucarada .

http://mais.uol.com.br/view/142788


1º Bailarino do American Ballet Theatre

 

Brasileiro, amazonense, iniciou  seus estudos de dança com 5 anos de idade nas escolas de Helena Lobato e Dalal Aschar, no Rio de Janeiro.

 

Após ganhar o Prêmio Revelação no Festival de Dança de Joinville em 1993, viajou para os Estados Unidos para continuar sua formação no Conservatório Harid em Boca Raton (Flórida) assim como nas escolas do Boston Ballet, Houston Ballet e Cuballet, neste último estudando com Alicia Alonso. Recebeu em 1994 o 2º lugar na Sociedade Nacional de Artes e Letras e recebeu o Prêmio Esperança em Lausanne, em 1996, passando a seguir um ano da escola do Ballet Ópera de Paris.


Ingressou no American Ballet Theatre em 1997, como membro do Corpo de Baile, sendo promovido a Solista em 2000 e 1º Bailarino em 2002, onde atua, nos papéis principais  dos ballets de repertório da Companhia como: Romeu em Romeu e Julieta, Albrecht em Giselle, Príncipe Siegfried, Benno e  von Rothbart em O Lago dos Cisnes, Solor em La Bayadere, Prícipe Desire em A Bela Adormecida, Franz em Coppelia, Espada e Basílio em Don Quixote, Príncipe em Cinderella, Onegin e Príncipe Gremin in Onegin, Conrad, Ali O Escravo e  Lankendem em O Corsário, o Príncipe em O Quebra-Nozes, o Mouro em  Othello, Jeanne de Brienne e Abderakman em Raymonda, e Lescaut e Des Grieux em Manon.  


Gomes tem interpretado também obras, em papéis de destaque, obras de George Balanchine, Mikahaik Fokine, Antony Tudor, Jerome Robbins, Frederick Ashton, John Cranko e Martha Graham e desempenhado personagens em coreografias criadas por Twyla Tharp, William Forsythe, Paul Taylor, Mark Morris, Jiri Kylian, Lar Lubovitch, James Kudelka, Nacho Duato, Stanton Welsh, Jorma Elo e Christopher Wheeldon.

A performance de Marcelo Gomes tem sido vista e reconhecida por todo o mundo. Além das turnês com o American Ballet Theatre, apresenta-se em inúmeros festivais internacionais de dança, incluindo o Festival Mundial de Ballet do Japão.


Tem se apresentado também como convidado de importantes companhias como Dutch National Ballet, The National Ballet of Canadá, The Houston Ballet, Ballet do Teatro Colón de Buenos Aires, Teatro Municipal do Rio de Janeiro e New York City Ballet.


Em 2008 acompanhou a bailarina Alessandra Ferri em sua turnê de despedida pelo Japão e Itália.
Recebeu prestigioso prêmio “Prix Benois de la Dance” em Moscou.

Apresentou-se como Solista Convidado, com grande sucesso, na 25ª edição de O Quebra-Nozes, no Teatro Alfa, em São Paulo, tendo como partner Denise Siqueira (solista da CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA).


Hee Seo - Solista American Baller Theatre

Nascida em Seoul, Coréia do Sul, Hee Seo começou sua formação em ballet em sua cidade natal, na Sun-hwa Arts Middle School. Foi premiada com uma bolsa de estudos de três anos para continuar seus estudos na Universal Ballet Academy em Washington, D.C. Em 2003, Seo ganhou uma bolsa para estudar na John Cranko Ballet Academy em Stuttgart. É a vencedora do Prix de Lausanne de 2003 e do Youth American Grand Prix de Nova York também em 2003.


Seo integrou o ABT Studio Company em 2004, (companhia principal) como estagiária em maio de 2005 e passa a fazer parte do elenco em março de 2006. Seu repertório com a companhia incluem: Lead D´Jamp e Sombra em La Bayadere, Zulma em Giselle, Natalia em On the Dnieper, Julieta em Romeu e Julieta, Fada da Sinceridade e Princesa Florine em A Bela Adormecida, Pas de trois, Princesa Brilhante e Grande Cisne em O Lago dos Cisnes, Ceres em Sylvia e papéis em Ballo della Regina, Dark Elegies, From Here on Out, The Leaves are Fading e Overgrown Path.


Maria Riccetto - Solista American Ballet Theatre

Nascida em Montevideo, Uruguai, Maria Riccetto iniciou seus estudos em ballet no ano de 1990 na National Ballet School, no Uruguai. 

Maria Riccetto - Solista American Ballet Theatre

 

Em 1995, foi contraada como estagiária da National Ballet Company S.O.D.R.E, onde dançou coreografias de Rodolfo Lastra, Ivan Tenorio, Jaime Pinto, entre outros.

 

Em 1998, Riccetto foi nomeada “Revelação do ano” por Washington Roldan, renomado crítico de dança na América do Sul, e recebeu o prêmio Elena Smirnova , conferido pelo crítico de ballet argentino Enrique Honorio Destaville. Também em 1998 Riccetto recebeu uma bolsa de estudos na North Carolina School of the Arts, onde trabalhou com professores como Gyula Pandi e Melissa Heyden. Dançou em todas as produções da escola, Grand Pas Românticos, coreografou e encenou com Fernando Bujones e coreografias de Elliot Feld, Balanchine e outros. Se apresentou como convidada com Julio Bocca, Angel Corella, Ethan Stiefel e Inaki Urlezaga.

 

Riccetto integrou-se ao elenco do American Ballet Theatre em agosto de 1999. Seu repertório com a companhia incluem: The girl in Robbins´s Afternoon of a Faun, Calliope em Apollo, primeira e terceira Sombra em Bayadere de Makarova, Petal e Stepsister em Cinderella de Kudeka, Olga em Onegin, Prayer em Coppelia, Gulnare e primeira Odalisca em O Corsário, Amour e a Flower Girl em Don Quixote, Peasant Pas de Deux e Zulma em Giselle. The two diamonds em Jeu de Cartes, Clara em O Quebra Nozes, The street dancer em Petrouchka, Henrietta em Raymonda, Pas de Deux  Pássaro Azul de A Bela Adormecida, The young Girl em O Espectro da Rosa, pas de trois de O Lago dos Cisnes, The “greed one” em Three Virgins and a Devil, papéis principais em Les Sylphides, Twyla Tharp´s in the Upper Room, Rabit and Rouge and Brief Fling, Balanchine, Mozartiana, Symphony Concertante, Theme  and Variations  e Symphony em  C. Killian´s Sinfonietta, Ashton´s Symphonic Variations, Welch´s Within You Without You and Here After, Elo´s C to C, Tudor´s Leaves are Fading, Taylor´s Company B. Em 2002 Riccetto foi promovida a solista do American Ballet Theatre..

 

Victoria Oggiam  


Nascida em São Paulo, aos 4 anos iniciou seus estudos na escola Carla Perotti. Aos 8 anos ingressou no  Estúdio de Ballet Cisne Negro onde dançou diversos ballets de repertório como "La Fille Mal-Gardeé", "Dom Quixote", "Paquita", "Sonho de Uma Noite de Verão", "A Viúva Alegre", "A Bela Adormecida" e "O Quebra Nozes". Participou de diversos festivais, tais como o Festival de dança de Joinville e o Youth America Grand Prix de Nova York. Formou-se pelo método Royal Academy of Dance e em 2007 foi aprovada no exame Solo Seal, obtendo certificado internacional como solista profissional. Teve como professores: Beatriz Molinari, Geni Horta, Gláucia Coelho, Daniela Prazeres, Wagner Alvarenga, Vladimir Condereche, Marc De Graef, Boris Storojkov, Cássia de Souza, Neide Rossi, Ismael Guiser, Marcio Rongetti, entre outros.

 

Em 2006, passou a fazer parte da CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA, apresentando-se por todo o Brasil e exterior, interpretando obras de importantes coreógrafos nacionais e internacionais.

 

Na obra O Quebra-Nozes, produzida há 26 anos pela Cisne Negro, tem participado desde 2006  e em 2008 foi uma das partners do brasileiro Marcelo Gomes, 1º Bailarino do American Ballet Theatre, de Nova York.

 


Leandro Neves


Começou seus estudos de dança na Escola Esi Dancers tendo como professor Tony Abbott. Participou de vários importantes Festivais de Dança do país, como Festival de Joinville, Passo de Arte, Dança Ribeirão, sendo premiado em todos eles. Fez aperfeiçoamento de técnica clássica e contemporânea em Nova York, na Alv in Alley School, com renomados professores e coreógrafos. Participou nos anos de 2006 e 2007 do espetáculo “O Quebra-Nozes” juntamente com a Cisne Negro Cia. de Dança. A partir de 2007 passou a fazer parte do elenco da Cisne Negro Cia. de Dança como bailarino, tendo se apresentado por todo o Brasil e exterior.

Em 2008 apresentou-se na produção O Quebra-Nozes como Solista e partner de Vitória Oggiam, também Solista da Cisne Negro Cia. de Dança.



Vladimir Condereche


Dançou em coreografias de Marius Petipa a Jiri Kylian, de Bournonville a David Dorfman, é formado pela prestigiosa Juilliard School em Nova Iorque e Universidade de Iowa. Coreografou para a Cisne Negro Cia. de Dança,   Cia. 10  e outros grupos no Brasil, Universidade de Iowa e Universidade do Novo México, colaborando com compositores brasileiros e americanos.

Foi bailarino Cisne Negro Cia. de Dança por 11 anos onde dançou, coreografou, ministrou workshops e aulas para a companhia. Desde 2008 é professor do Departamento de Teatro e Dança na Universidade do Novo México em Albuquerque, Estados Unidos, onde ministra aulas de ballet, moderno e coreografia. 

Esta é a segunda vez que Vladimir volta como convidado para o espetáculo O Quebra Nozes da Cisne Negro Cia. de Dança, no papel de Drosselmeier.


Cinthia Beranek

É bailarina, coreógrafa e aerialista com especialidade em lira, tecido e trapézio. Graduada em ballet clássico e com larga experiência em dança contemporânea, fez aulas de dança em vários países europeus e com companhias renomadas como Pina Baush e Angelin Preljocaj.

Cinthia Beranek, integrou o elenco do Cirque de Soleil de 2001 a 2008 como trapezista e capitã de dança, no espetáculo Varekai. No espetáculo Delirium atuou como bailarina, aerialista, capitã de dança e assistente de direção. Foi uma das coreógrafas do show de celebração dos 400 anos de Quebec e treinadora de trapézio e dança da escola de circo em Montreal.999-2000.

 

Como bailarina participou de companhias brasileiras   como: Cisne Negro Cia. de Dança, sob a direção de Hulda Bittencourt (1994 a 1996), Cia. de Dança de Diadema, sob a direção de Ivonice Satie e Sandro Borelli (1996 a 1998), Grupo Linhas Aéreas (1998 a 1999), como bailarina e artista circense, 7 Cia. de Dança, sob a direção de Paulo Goulart Filho (1999). Companhia de Danças, sob a direção de Cláudia de Souza (1999 a 2000) e Grupo Circodelico (1999), bailarina, coreógrafa e artista circense.


Fez especialização em Técnicas Aéreas de Circo com André Simard, Johanne Gelinas (Canadá).


A CISNE NEGRO CIA. DE DANÇA, é considerada uma das melhores companhias contemporâneas do país. Dentro de sua filosofia encontram-se a originalidade, a tradição e a preocupação de formar novas platéias, buscando públicos capazes de apreciar a inovação e a beleza.

 

Os trabalhos da companhia inserem-se dentro do panorama contemporâneo da dança ocidental, e conseqüentemente, desde o início, a companhia trabalha com coreógrafos inovadores e jovens. 

Dentre eles se destacam Vasco Wellencamp (Portugal), Gigi Caciuleanu, Patrick Delcroix (França), Janet Smith e Mark Baldwin (Inglaterra), Ana Maria Mondini, Dany Bittencourt, Denise Namura, Tíndaro Silvano, Mário Nascimento e Rui Moreira (Brasil), Júlio Lopes e Luis Arrieta (Argentina), Michael Bugdahn (Alemanha), Victor Navarro (Espanha) e Itzik Galili (Israel).

Os trabalhos da Cisne Negro foram apresentados nas principais cidades do Brasil e, na Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Espanha, Uruguai, Paraguai, Argentina, Alemanha, Moçambique, África do Sul e Chile,  o grupo exibiu-se como um modelo de trabalho dentro da dança brasileira, um trabalho construído com profissionalismo e paixão.

Sucesso de crítica e de público, em 2009 o grupo comemora 32 anos de existência olhando para o futuro, sempre pronto para levar a sua inovadora dança aos quatro cantos do planeta. 

 

O espetáculo é uma apresentação de Massaini Cultural. São Paulo agradece.

 

mkus@uol.com.br 

 



Leia também:

HUGO SCHLESINGER GOSTAVA DE CONSTRUIR CINEMAS E ESCREVER LIVROS
20/09/2009 - 15:28
No inicio dos anos 60 fui convidado a visitar uma pequena distribuidora especializada em importar produções européias, em sua maioria, filmes de arte, que ...


Exposição Estrelas errantes: "Memória do Teatro Ídiche no Brasil" - MIS (Museu da Imagem e do Som) em São Paulo
15/07/2013 - 12:26
Com curadoria do historiador Nachman Falbel e da professora e pesquisadora Anat Falbel, a mostra é resultado de uma longa pesquisa sobre a cultura ídiche ...


Jornalismo e emoção sobre Leila Diniz no site de Marcelo Pestana Carlos Cirne
09/05/2014 - 0:31
Londres, junho de 1972, 12 horas, domingo de sol na velha Albion, talvez o único domingo de sol daquele verão londrino. Éramos um grupo brasileiro alegre,...


A TECNOLOGIA NO CINEMA ELEVA A QUALIDADE DO ESPETÁCULO E INTERAGE COM O PÚBLICO
20/06/2010 - 19:13
A Centauro Cinema, tradicional empresa do mercado cinematográfico brasileiro e uma das mais importantes integradoras de serviços e instalações no Brasil, c...


Bratz estão de Volta! Cuidado, Barbie
28/06/2011 - 11:51
NEW YORK (CNNMoney) -- Cuidado Barbie. Uma guerra de bonecas neste Verão está prestes a explodir, porque o sua arqui-rival - as atrevidas, bonecas Bratz - ...


SUPERPRODUÇÃO BRASILEIRA DE ‘UM VIOLINISTA NO TELHADO’ CHEGA A SÃO PAULO EM MARÇO ESTRELADA POR JOSÉ MAYER
08/03/2012 - 6:15
O título da mais nova produção musical de Charles Möeller e Claudio Botelho, ‘Um Violinista no Telhado’, é também a expressão que melhor define a vida de s...


NELSON SARDELLI – NOSSO HOMEM EM LAS VEGAS
04/03/2010 - 0:1
Quando falam em Las Vegas e dos shows milionários de seus deslumbrantes cassinos, lembramos os nomes de ícones norte-americanos, como Frank Sinatra, Dean M...


HÁ 65 ANOS NASCIA A ESTRELA ELIANA PITTMAN. HÁ DEZ ANOS OPHÉLIA PITTMAN FOI SER ESTRELA EM OUTRA DIMENSÃO
13/08/2010 - 19:1
A vida nos prega peças inusitadas, as quais não podemos controlar. Em 14 de agosto de 2000,Eliana, com amigos e sua mãe querida, Ophélia, festejava seu a...


LEILA DINIZ, A IRREVERÊNCIA, AMOR A VIDA, GRAVIDÊS E MUSICAL FORAM A CASCA DE BANANA QUE FIZERAM ESCORREGAR A DITADURA BRASILEIRA NOS PRIMEIROS ANOS DE CHUMBO
05/08/2010 - 14:48
Londres, junho de 1972, 12 horas, domingo de sól na Velha Albion, talvez o único domingo de sól daquele verão londrino. Éramos um grupo brasileiro alegre,...