Mauricio Kus
O PAULISTANO É UM SOFREDOR, SOBREVIVENTE, MAS A GENTE AMA SÃO PAULO


Por Mauricio Kus, 06/04/2010 às 6:34

O PAULISTANO É UM SOFREDOR, SOBREVIVENTE, MAS A GENTE AMA SÃO PAULO

 


Os padres jesuítas José de Anchieta e Manoel da Nóbrega subiram a Serra do Mar nos idos de 1553 a fim de buscar um lugar seguro para se instalar e catequizar os índios.

Encontraram o ponto ideal no planalto de Piratininga.  Diz a história que ambos encontraram um local de “ares frios e temperados como o da Espanha e uma terra mui sadia, fresca e de boas águas.

Os religiosos construíram um colégio numa pequena colina próxima aos rios Tamanduatei e Anhangabaú, onde celebraram a primeira missa em 24 de janeiro de 1554, data que marca o aniversário de São Paulo.

Hoje quase cinco séculos depois, o povoado de Piratininga se transformou numa metrópole de quase 11 milhões de habitantes.

Só restou daquele tempo,  as fundações feitas pelos padres e índios no Páteo do Colégio.

No mesmo lugar foi reconstruída a capela, no coração de São Paulo, ao lado da Praça da Sé, obedecendo a construção original.]

O que é São Paulo hoje, depois de exatos 456 anos?

É a décima cidade mais rica do mundo.  Responde por 12,26% do PIB nacional;  É sede de 63% das multinacionais estabelecidas no país.

O último senso registrou 10.223.97 habitantes, o que coloca a capital do Estado de São Paulo, como a sexta maior aglomeração urbana do mundo. É a capital financeira e corporativa da América do Sul e a 14ª cidade mais globalizada do mundo.





São Paulo  é um caldeirão de raças, abrigando gente de todo o mundo que veio para a capital paulistana em busca de trabalho, uma nova vida e um futuro de horizontes melhores do que em seu país de origem. E vivem todos em harmonia, judeus, árabes, italianos, russos, bolivianos, pretos, brancos, mulatos, todos se dizendo paulistanos, e pronto!

São Paulo é a maior cidade nordestina do Brasil.

E como identificar o paulistano? Como podemos saber que alguém é paulistano da gema, esta figura complexa que quando nasce, devia ser retirada da maternidade com um manual de instrução?

Tem várias formas de identificar:


Pela fala
 

O paulistano chama o semáforo de farol: diz bolacha em vez de biscoito: diz cara em vez do homem; diz mina em vez de garota;diz bexiga em vez do balão;diz sorvete tanto para picolé, quanto para sorvete de massa; acha que não tem sotaque nenhum; ri do sotaque de todo mundo (do gaúcho, do carioca, do mineiro e do nordestino); quando vê uma pessoa mal vestida, chama logo de baiano, e, finalmente é muito possessivo, pois emprega a palavra MEU em praticamente todas as frases.


No clima

O paulistano fala sobre o tempo para puxar assunto: enfrenta sol, chuva, frio, calor, tudo no mesmo dia e acha legal; sai todo agasalhado de manhã, tira quase tudo à tarde e põe tudo de volta à noite; tem mania de levar carro para polir no sábado ou no domingo.  O carro fica brilhando, só que toda vez que vai sair com ele, para passear, chove.


Na praia

O paulistano diz que vai à praia, sem especificar qual; passa a temporada no Guarujá, Maresias ou Ubatuba, mesmo que chova mais do que faça sol; chama Ubatuba de Ubatchuva e. finalmente, fala mal da Praia Grande, mas toda virada do ano, quando fica sem grana, acaba indo para lá.


Nas esquesitices

O paulistano faz fila para tudo: no elevador, banheiro,  ônibus, banco,mercado, casquinha do McDonald’s , etc; repara nas pessoas como se fossem de outro planeta; cumprimenta os vizinhos com apenas um oi e tchau; espera a semana inteira pelo final de semana, e quando ele chega, acaba não fazendo nada; convida “!Passa lá em casa”, mas nunca dá o endereço”(justiça seja feita. Neste quesito o carioca ganha do paulistano).E para finalizar, chama o povo do interior de caipira.

Mas, a verdade é que o paulistano ama São Paulo e ri de si mesmo ao perceber que todas estas colocações desta crônica são a verdade e tudo faz parte do dia a dia da cidade.

De uma metrópole que tem como lema “No ducor duco” – Não sou conduzido, conduzo”

Mas dá para conduzir no trânsito caótico de São Paulo?

 

mkus@uol.com.br

 






Leia também:

SE EXISTEM ESCOLINHAS PARA JOGADORES, PORQUE NÃO EXISTEM ESCOLINHA PARA CARTOLAS?
31/07/2009 - 12:17
Vi ontem pela TV Gazeta. O presidente do Corinthians que raramente aparece aos treinos do clube, baixou na segunda-feira no Parque São Jorge para ver os ...


INTIMIDADES NO TEATRO EVA HERZ
27/08/2013 - 11:20
Como disse Bruce na primeira leitura, trabalhar nessa peça é como olhar pelo buraco da fechadura onde podemos ver flashes da vida desse casal, um homem e ...


Nova caneta Lamy Neon Coral - funcionalidade, base da escola Bauhaus de design
02/03/2015 - 18:26
A forma seguindo a funcionalidade, base da escola Bauhaus de design, é levada ao extremo nas belas canetas alemãs Lamy. Fabricadas na Alemanha com a reconh...


'O QUEBRA NOZES' JÁ É UMA TRADIÇÃO NATALINA NO TEATRO ALFA
24/11/2011 - 11:24
Continuando com uma tradição que já é parte dos festejos natalinos, a Cisne Negro Cia.de Dança, apresenta, de 8 a 18 de dezembro, no palco do Teatro Alfa, ...


HÁ DEZ ANOS O JORNALISMO BRASILEIRO PERDIA ALESSANDRO PORRO
28/10/2013 - 13:33
Precisamente há dez anos atrás, no dia 10 de outubro de 2003, falecia o jornalista Alessandro Porro, autor de vários livros, por mais de 20 anos correspon...


Nai Dworking: Mercado Imobiliário Corporativo em curva ascendente sem pressão de bolha financeira
19/09/2012 - 20:43
Dados colhidos pela NAI Dworking, empresa especializada em consultoria imobiliária corporativa, mostram que o mercado de imóveis corporativos no Brasil en...


O MAIOR PAPEL DE YUL BRYNNER FOI NA VIDA REAL: MORREU COM MUITA DIGNIDADE E DEIXOU UM LEGADO PARA A HUMANIDADE
03/02/2010 - 21:2
Ator de dezenas de filmes e sucessos no teatro, por 30 anos consecutivos representando na Broadway e em excursões pelas maiores cidades dos Estados Unidos,...


Musical Beatles Num Céu de Diamantes -Teatro Folha, SP -Direção de Charles Möeller e Claudio Botelho
26/06/2015 - 10:52
Espetáculo musical consolida projeto paulista de Möeller & Botelho. Esta é a 7ª temporada do espetáculo que estreou em janeiro de 2008, no Rio de Janeiro. ...


O ACTORS STUDIO QUASE VEIO AO BRASIL, MAS..PAROU NO GRID DE LARGADA
17/11/2009 - 11:38
Conheci Thamas Rohony em 1966, ano em que foi lançado em São Paulo o filme “Grand Prix”, uma super produção de Hollywood, dirigida por John Frankenheimer, ...